Site pode ter receitas significativas com publicidade em buscas, mas precisa buscar pequenos anunciantes

O Youtube é o segundo maior site de buscas do mundo, atrás apenas do mecanismo da empresa ? qual pertence – o Google. Mas será que ele pode ganhar tanto dinheiro quanto o líder?

A estratégia do site poderá definir se o Youtube quer se tornar uma empresa razoavelmente lucrativa baseada em anúncios na homepage e em campanhas em vídeos, ou se pode ter uma escala gigante como a do Google, atraindo uma série de pequenos anunciantes.

No ano passado, a home Page do Youtube foi disputada por anunciantes do ramo de entretenimento, ao mesmo tempo em que o site tentou com limitado sucesso fazer acordos com os estúdios para exibições Premium de TV e filmes. Além disso, um acordo com a Sony Music e a Universal Musica deu força ao Vevo, que pode poderá trazer mais dólares das marcas relacionadas a vídeos musicais.

Mas embora estes possam ser bons nichos, não parece ser essa a cara do Google, que construiu sua fortuna com a publicidade em buscas. A grande parte da receita de US$ 23,6 bilhões do Google em 2008 veio de buscas. Ao mesmo tempo, um analista do Barclay, Douglas Anmuth, estima que o Youtube pode se tornar lucrativo em 2010, sob uma receita de US$ 700 milhões.

A modalidade de promoção de vídeos (Promoted Videos), o que seria o equivalente ? publicidade de buscas dentro do Youtube, foi lançado em 2008 e integrado ao AdWords do Google em outubro, o que deu vazão para que os anunciantes pudessem levar facilmente suas campanhas para o site de vídeos.

Enquanto no Google a proposta é gerar um clique no link patrocinado, no Youtube a ideia é gerar uma visualização do vídeo, o que pode inclusive levar a um clique para entrar em um site. Por causa disso, diz o Youtube, dezenas de milhões de buscas ocorrem por dia no site.

“Achamos que o Promoted Video é uma grande forma de pequenas empresas contarem sua história e atingirem consumidores com um vídeo”,”afirmou Shishir Mehotra, diretor financeiro do Youtube.

A empresa tem trabalhado duro para ativar essas ferramentas e muitos anunciantes de busca compram campanhas no site de vídeos. O Youtube não revela os número, mas diz que já há milhares de anunciantes que usam ferramentas “self-service” para anunciar no site. Os cliques pagos no Promoted Videos duplicou no quarto trimestre de 2009 em relação aos três meses anteriores.

“?? mais do que gerar vendas diretas, e tem um caráter mais de campanha de branding”, analisa Steve Groenier, vice-presidente de marketing da ArtBeads.com, empresa que fornece peças artísticas. Ele começou comprando termos como “como comprar jóias”.

Mas mesmo com Google e Youtube buscando vender publicidade para gigantes como a Procter&Gamble, o ato de fazer do Youtube um negócio voltado também para buscas significa também ir atrás de anunciantes como a pequena Orabrush, que faz uma pastilha que auxilia a melhorar a respiração. Com a decisão de rodar infomerciais no Youtube, localizados por termos como “má respiração”, a peça foi vista 7,8 milhões de vezes, sendo 6 mi delas a partir de links pagos.

MMOnline / Do Advertising Age.